Concurso IBGE 2020 – Previsão de Edital para o Censo



Seleção deve ofertar mais de 200 mil vagas. Edital deve ser divulgado em março de 2020.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) está esperando desde maio do ano passado (2019), o edital para contratação de mais de 200 mil temporários em todo o Brasil para o Censo 2020. No dia 11 de fevereiro, última terça-feira, uma nova previsão foi divulgada, que o edital será publicado no mês que vem, em março. A última previsão anunciada pelo órgão seria que neste mês de fevereiro sairia o edital.

O processo seletivo divulgado em maio do ano passado, mencionou em contratar trabalhadores temporários para os cargos de "Recenseador" e "Agente Censitário", para o Censo Demográfico 2020.



Com a assinatura do contrato prevista para ainda essa semana, o "Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos" (Cebraspe), que será a banca organizadora do concurso, conforme informações do próprio IBGE, deverá garantir que o referido edital seja publicado agora, no início do mês que vem.

O IBGE recebeu a autorização do governo federal no ano passado para contratar até 234.416 trabalhadores temporários para este Censo Demográfico. Se somar todas as vagas autorizadas de Recenseador e Agente Censitário, o número que pode chegar a 225.678 vagas preenchidas, conforme publicação da portaria em maio, estão previstas 6.100 vagas para Agente Censitário Municipal, 23.578 Agente Censitário Supervisor e 196.000 Recenseador.



Conforme essa mesma portaria, que é do Ministério da Economia, os trabalhadores teriam um contrato de 1 (um) ano e poderiam começar a trabalhar já no mês passado, após o processo seletivo por edital publicado em até 6 (seis) meses. Devo mencionar que, o período do contrato de trabalho pode ser prorrogado caso não tenha sido concluído as atividades.

Todas as informações de nível escolar, número de vagas para cada estado ou cidade, valor da remuneração, tempo de trabalho, data da prova e valor da inscrição, só serão confirmadas no lançamento oficial do certame.

Nos concursos anteriores do mesmo Censo, o cargo de Recenseador exigiu a escolaridade de nível fundamental, enquanto que o Agente Censitário exigiu o nível médio de ensino escolar.

O Ministério da Economia já autorizou outros processos seletivos para o mesmo órgão que irá fazer o Censo, para os cargos de Analista Censitário no IBGE, Coordenador Censitário de subárea 1 e 2, Agente Censitário operacional, Supervisor, Agente Censitário Municipal, Agente Censitário Supervisor, Codificador Censitário, Recenseador, Supervisor PA e Recenseador PA.

No último Censo que foi realizado em 2009 e 2010, 1.051.582 pessoas se candidataram para um total de 224.984 vagas para os cargos de Recenseador, Agente Censitário Municipal, Agente Censitário Regional, Agente Censitário de Informática, Agente Censitário Administrativo e Agente Censitário Supervisor. Entre essas vagas, somente o cargo de Recenseador exigia o nível de escolaridade fundamental, para todos os demais cargos seriam exigidos o nível médio de escolaridade.

Os Recenseadores foram pagos conforme a sua produtividade e também conforme a região onde trabalharam, mas em 2010 essa remuneração ficou entre R$ 800 e R$ 1600. Um total de R$ 1,4 Bilhão foram gastos para realizar essa tarefa, bater em todas portas das casas do Brasil para descobrir quantos nós somos.

No Censo que será realizado este ano, uma previsão de gasto em R$ 3,1 bilhões foi mencionado, porém o IBGE irá reduzir a quantidade de perguntas do questionário para ficar mais ágil, reduzindo assim a quantidade de pesquisadores e o tempo gasto em cada residência, reduzindo aproximadamente R$ 800 mil, ficando com um gasto estimado de R$ 2,3 Bilhões.

O ministro da Economia Paulo Guedes indicou Susana Cordeiro Guerra ao cargo de presidente do IBGE no dia 22 de fevereiro do ano passado e a mesma, falando sobre a redução do questionário, mencionou em entrevista que essa redução não afetaria a precisão e qualidade da pesquisa.

Fernando Ferreira Dias Junior

Deixe o seu comentário