ENEM 2017 – Informações e Agenda



Confira aqui a agenda e todas as informações sobre o ENEM 2017.

O ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, ficará ainda mais caro para os candidatos que não obtiverem o benefício da isenção. Neste ano, o valor da taxa para participar das provas elevou para R$ 82, que anteriormente era R$ 68. Este preço representa um acréscimo de 20,5% e foi divulgado na segunda-feira, dia 10, no DOU – Diário Oficial da União. O documento também confirma as alterações no exame que já foram informadas pelo Inep, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais.

Informações importantes sobre o exame para o ano de 2017

  • A taxa para participar passou para R$ 82, antes era R$ 68.
  • O período de inscrição inicia dia 8 de maio, finalizando dia 19 de maio, sendo necessário pagar o boleto até dia 24 de maio.
  • As avaliações acontecerão em dois domingos: Sendo dia 5 e 12 de novembro.
  • Os cadernos de avaliação terão nome do concorrente no cartão de respostas e na capa.
  • Será preciso também realizar o preenchimento de uma frase na capa do caderno.
  • Os estudantes oriundos da rede pública formando no ensino médio, concorrentes cadastrados no CadÚnico e que se encaixam na Lei de número 12.799/2013 podem se isentar do valor da taxa de inscrição.
  • Os candidatos que são isentos e que não realizarem a avaliação irão perder tal benefício no próximo ano, caso a ausência não seja justificada através de algum documento válido.
  • Na inscrição também deve ser solicitado o tempo adicional para realizar atendimento especial.
  • Desta vez o Enem não terá validade de certificado do ensino médio.

Segundo o Inep, a elevação do valor da inscrição se deve pela atualização de acordo com o IPCA, Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, praticado no ano de 2016 para que cobrisse as melhorias no exame e arcasse com os custos operacionais.



De acordo com o mesmo órgão, entre os anos de 2000 e 2014 não houve alteração na taxa, sendo de R$ 35. O órgão ainda informou que os valores cobrados no ano de 2015 e de 2016 estavam abaixo do corrigido pelo IPCA na época.



FILIPE R SILVA

Deixe o seu comentário